Nosso endereço: Rua José Flores, 351, Bairro Aclimação - Uberlândia - MG / CNPJ 07.766.923/0001-06

domingo, 19 de julho de 2020

O que fazer quando alguma pessoa em situação de rua te pedir ajuda em Uberlândia?

https://globoplay.globo.com/v/8704749/programa/ Copie e cole o endereço para assistir a reportagem que motivou esta postagem. Este caso informado na reportagem é comum em Uberlândia. Ninguém quer assumir o compromisso de cuidar de quem está em situação de rua. Se a pessoa está bêbada ou sob efeito de outras drogas, mais do que nunca, necessita do amparo do Estado. Eu consegui identificar o morador de rua que aparece nas imagens, trata-se do Petrônio, usuário de álcool e há anos em situação de rua. Já o acolhemos por três vezes na Casa Santa Gemma, instituição filantrópica onde sou voluntário, e também já tentamos enviar para um tratamento adequado em clínicas e comunidades terapêuticas. O serviço do Consultório na Rua está suspenso pela Prefeitura Municipal de Uberlândia, perceba a falta que faz. Quase sempre, quem assume os cuidados de pessoas como o Petrônio são as OnG´s e instituições religiosas, estes grupos são capazes de ter mais empatia pelo ser humano. A reportagem deixou um questionamento no ar: a quem devemos recorrer nessa situação? Pois bem: faço parte do Fórum Permanente das Pessoas em Situação de Rua de Uberlândia, fundado em fevereiro de 2019, cujo objetivo é promover um debate político acerca dos direitos e deveres de quem se encontra em situação de rua. Estivemos algumas vezes no Ministério Público Estadual, juntamente com representantes da Prefeitura Municipal de Uberlândia e representantes de todos os abrigos subvencionados pelo município. Ficou acordado com a PMU e abrigos o atendimento 24h a todas as pessoas que necessitarem de acolhimento, logo, se você se deparar com uma situação como a relatada na reportagem, siga os seguintes passos: 1- Se a pessoa aparentar ter sofrido violência física ou sinais de atropelamento, acione o Corpo de Bombeiros, telefone 193. Caso se neguem a atender, solicite o nome do atendente e informações sobre a quantidade de viaturas disponíveis e a quantidade de viaturas em atendimento naquele momento. Caso permaneça a negativa, acione a Polícia Militar (190) sobre a situação. Se pedirem para que você acione a Central de Ambulâncias (192), informe as condições do paciente e pegue as mesmas informações com o atendente (nome, quantas ambulâncias, etc). Essa pressão fará com que, um ou outro, atenda a ocorrência. Se ninguém for, trata-se de omissão de socorro, ligue para o 190. Caso o 190 também não se interesse pelo caso, após ter tomado nota das informações que tenha conseguido, leve o caso no Ministério Público Estadual e proceda a denúncia para omissão de socorro de todos os órgãos consultados. Agora, você não poderá deixar a pessoa na mesma situação em que a encontrou, se for possível, faça o transporte até a unidade de pronto-socorro mais próxima, peça ajuda a quem você puder, até a mim, se quiser: (34)99971-7810; 2- Se a pessoa em situação de rua quer apenas um acolhimento para tomar um banho, se alimentar e descansar, ligue entre 08h00 e 17h00, de segunda à sexta-feira, para o CREAS RUA, (34)3235-4772 e solicite o apoio da equipe de Abordagem Social. Normalmente, a equipe comparece no local da solicitação para oferecer ajuda e o devido encaminhamento, tratam-se de servidores muito atenciosos; 3 - Caso o encontro com a pessoa em situação de rua seja a noite, nos finais de semana ou feriados, você deve tentar, primeiramente, o contato com o Plantão CREAS RUA, telefones (34)99946-0373/ 99668-5392, para as devidas orientações; 4 - Se você não conseguir contato pelos números do Plantão CREAS RUA, ligue para o abrigo subsidiado pela PMU, o CEAMI Martins, telefone (34) 3215-3746 / 3225-0467 / 3225-3204. Caso não atendam ao telefonema, você deve se dirigir até o endereço da unidade de acolhimento, Rua Carmo Givoni, 1145, Bairro Martins. Devido a pandemia, a pessoa em situação de rua poderá ser encaminhada para o abrigo CEAMI Quarentena, criado especificamente para este período. Vale lembrar que a criação deste abrigo veio depois da solicitação feita pelo Fórum Permanente das Pessoas em Situação de Rua de Uberlândia, junto ao MPF, MPE, PMU e Comitê de Enfrentamento ao Coronavírus de Uberlândia. Espero ter contribuído! Parabéns ao cidadão Fernando de Oliveira Fernandes (cidadão não! engenheiro civil! 😅😅), que fez a denúncia chamando a TV Integração, afinal, em Uberlândia, a mídia pode trazer respostas mais rápidas para este tipo de demanda. Parabéns ao motociclista anônimo que foi lá e tirou o irmão do meio da rua. Enfim, se você considerar que estas informações poderão ser úteis para outras pessoas, compartilhe, marque quem trabalha em DEFESA DOS DIREITOS HUMANOS.

Live Jack Albernaz